Com reabertura de shoppings, comerciários formam fila gigante por testes

0Shares
0 0

No dia em que mais atividades são reabertas e na véspera da retomada do funcionamento dos shoppings, uma fila gigantesca de comerciários se forma na 504 Sul, onde os funcionários farão testes gratuitos de coronavírus. A quantidade de pessoas na manhã desta terça-feira (26/05) chama a atenção. Pessoas próximas uma das outras, com máscaras, esperam para serem atendidas na unidade do Serviço Social do Comércio (Sesc).

A fila dá volta no quarteirão. Os testes são uma exigência para a retomada das atividades. O Sesc informou que a Federação do Comércio (Fecomércio) fez parceria com o GDF para disponibilizar 500 testes rápidos gratuitos, diariamente, aos funcionários de todo o comércio da capital da República.

“No entanto, se houver uma demanda um pouco maior, por dia, será possível realizar o exame. Os testes rápidos e gratuitos ocorrem apenas na unidade da 504 Sul. A Fecomércio também oferta outro tipo de exame em parceria com um laboratório na 913 Sul, com desconto de 50%”, destacou o Sesc.

A assessoria informou também que há uma equipe do Sesc orientando as pessoas na fila para que não fiquem sem máscaras e mantenham a distância. Augusto Vilela da Ribeira Soares, 19 anos, é motorista em uma clínica de vacinas e chegou na fila do teste rápido por volta das 7h30. Segundo ele, ainda faltam cerca de 150 pessoas realizarem o teste para chegar a sua vez.

“Vou ter que esperar porque é uma regra da empresa para que a gente possa voltar ao trabalho ainda nesta terça-feira. Acho correto para podermos nos sentir confiantes em voltar para o serviço testados e sem a suspeita da Covid-19. Sem prejudicar a nossa saúde e também a do próximo”, disse.

Dois meses após o fechamento dos shoppings no Distrito Federal para tentar conter o avanço do novo coronavírus, os 20 centros comerciais da capital poderão reabrir as portas nesta quarta-feira (27/05). Apesar da empolgação com a retomada dos negócios, lojistas têm consciência de que o brasiliense não voltará a frequentar os estabelecimentos em massa.

Para tentar garantir tranquilidade aos clientes, os empresários apostam em seguir rigorosas medidas de prevenção à Covid-19.

Para o presidente da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), Glauco Humai, todos os protocolos de segurança exigidos serão seguidos, como a medição obrigatória da temperatura de todos os frequentadores do local, limite de 50% no uso do estacionamento e a proibição de consumo de comidas.

“A gente precisa recuperar a confiança. No Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a primeira semana de reabertura ficou na ordem dos 40% ou 50% do que era antes da pandemia. Agora, está em cerca de 70%. Coube a nós pensar que estávamos preparados para uma reabertura. É possível operar respeitando os protocolos”, explica Glauco.

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF) confia que será bem mais fácil controlar a disseminação da doença nos shoppings. “Tem portaria. O pessoal pode ir lá e controlar a entrada”, pondera.

O único problema, segundo ele, tem sido a testagem para a Covid-19. Muitos comerciantes têm relatado dificuldades em conseguir agendar na rede pública e o exame em laboratórios particulares são muito caros para serem feitos em grandes quantidades.

Por esse motivo, a Fecomércio-DF anunciou que oferecerá, de forma gratuita, a partir desta terça-feira (26/05), testes rápidos de Covid-19 para os funcionários do comércio. Para a realização do teste é necessário que o funcionário leve a credencial de comerciário do Sesc ou a carteira de trabalho comprovando o vínculo empregatício, além de se cadastrar no site do governo.

Após a permissão de que lojas de calçados e sapatos pudessem abrir as portas, o Governo do Distrito Federal (GDF) decidiu que, a partir desta terça-feira (26/05), vários outros segmentos do comércio de rua na capital poderão retomar as atividades. Foram quase 70 dias de fechamento para vários empresários.

Para a volta ao funcionamento, no entanto, medidas de segurança precisam ser adotadas. Entre as várias exigências estabelecidas no decreto publicado no dia 22 de maio está o uso de máscaras por funcionários, garantia da distância de 2 metros entre clientes e aferir a temperatura dos consumidores.

No intuito de garantir que tudo será seguido, o governo anunciou a criação de um “Disque Denúncia” específico para fiscalizar a adoção das medidas sanitárias pelo comércio. De acordo com promessa do governador Ibaneis Rocha (MDB), a central deve sair do papel nos próximos dias e vai funcionar como uma espécie de ouvidoria.

Outra medida tomada foi o reforço na limpeza de calçadas na frente de estabelecimentos da W3 Sul por equipes do programa GDF presente. Foram 10 pessoas tirando a sujeira dos passeios com água, sabão, cloro e desinfetante.

O Departamento de Trânsito (Detran) e a Polícia Militar estão no local.

 

 

 

MAURICIO MAURICIO

0Shares
0