Nova direção do Sintfub toma posse no primeiro dia útil de 2020 com auditório lotado

0Shares
0 0

Na manhã desta quinta-feira, dia 2 de janeiro, a nova diretoria colegiada do Sintfub, o Sindicato dos Trabalhadores da Universidade de Brasília, que tem na coordenação geral Francisca de Albuquerque, Edmilson Lima e Francisco Rodrigues.

Foi uma cerimônia muito concorrida, com o auditório lotado de lideranças sociais, acadêmicas, estudantis e sindicais, com todos os presentes compromissados com esta nova direção que saberá lutar para defender os trabalhadores da Universidade de Brasília (UnB).

O coordenador-geral do Sindicato Edimilson Lima em seu discurso fez uma retrospectiva das lutas de 2019 e das manifestações (30 de maio, 14 de junho entre outros) que entoaram o ano passado e marcaram o começo dos protestos contra as medidas de desmonte da educação pública e do serviço público brasileiro. “Sabemos das dificuldades que vamos enfrentar, nem terminou o ano e o governo soltou uma medida provisória que ataca democracia interna e a autonomia das federais. Por isso, precisamos construir e fortalecer a nossa unidade na defesa da nossa UnB, da autonomia universitária e das universidades públicas do país”.

Em seu discurso, a reitora da UnB, professora Márcia Abrahão, conclamou a unidade dos trabalhadores da universidade. E disse que defender a UnB é defender Brasília. Ela também criticou a MP 914 de 2019, que pretende modificar as eleições para dirigentes das universidades federais e institutos federais, além do Colégio Dom Pedro II, no Rio de Janeiro. Márcia completou ao fazer um apelo. “Não é hora de projetos pessoais e de pequenos grupos. É hora de união daqueles de defendem a universidade e a democracia”.

O deputado distrital Chico Vigilante seguiu a mesma linha de discurso dos outros presentes, ressaltou a necessidade de todos os trabalhadores se unirem na defesa da democracia, que é um bem ameaçado no país. Ele desejou à diretoria do Sintfub muita sorte e reafirmou seu compromisso de estar lado a lado com o Sindicato na Câmara Legislativa.

O presidente da CUT, Rodrigo Rodrigues, parabenizou a vitória e a nova diretoria eleita. Desejou que eles, construam a luta necessária pela defesa da categoria e da educação pública de qualidade. “Em primeiro lugar acho que temos que ter a clareza, que estes ataques são direcionados. Para Rodrigo, de um lado temos o ministro da Economia, Paulo Guedes, que quer fazer com que a privatização seja a linha de governo. Do outro lado tem os ministros da Justiça, da Educação e das Relações Exteriores que são ideológicos e querem destruir as universidades públicas. “Isso fica claro quando o Weintraub diz que aqui é uma balbúrdia”, completou ele.

O professor Manoel de Andrade, da Adunb, ressaltou o calendário de lutas já definido para 2020. “Não podemos ficar apenas na retórica e trabalhar com um grupo reduzido. Temos a enorme tarefa de defender a educação. Esta não é uma tarefa fácil neste governo que vem nos atacando com frequência”, explicou ele.

Todos saíram confiantes do ato de posse e foram para a confraternização com a certeza de que a nova direção do Sindicato tem disposição de luta e a confiança da categoria para liderar os bravos trabalhadores da Universidade de Brasília.

 

VEJA O CALENDÁRIO DE AÇÕES PRIMEIRO SEMESTRE DE 2020

 

Calendário de ações em defesa dos serviços públicos

16 de janeiro

Reunião das entidades que representam servidores e empregados públicos com as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, que representam os diversos movimentos sociais

Horário/Local: 10h, na CUT Brasília

24 de janeiro

No Dia dos Aposentados, será realizada ação na Praça dos Aposentados, no Conic, que refletirá sobre a importância dos serviços públicos para quem não está mais ativo nos postos de trabalho. Uma das principais demandas desse grupo é o serviço de saúde pública, diante dos valores estratosféricos dos planos privados de saúde.

12 de fevereiro

Atividade no Auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados para debater a importância dos serviços públicos

21 de fevereiro

No período de carnaval, será criado um bloco em defesa dos serviços públicos, que dialogará com a sociedade de forma criativa e descontraída sobre a importância desses serviços para a sociedade.

8 de março

No Dia Internacional das Mulheres, também será pautada a defesa dos serviços públicos. De acordo com o SUS, as mulheres são as principais usuárias desse sistema. Além disso, outros serviços, como escolas públicas, por exemplo, interferem diretamente da vida das mulheres.

18 de março

Dia Nacional de Paralisação Mobilização, Protesto e Greves

 

Por: Camila Piacesi 

 

 

VEJA OS VÍDEOS COM OS DISCURSOS DOS PRESENTES 

admin

0Shares
0