Balanço do ato contra reforma da previdência

0Shares
0 0

Trabalhadores se reuniram na Esplanada na manhã de terça-feira (28) em protesto à reforma da previdência, que retira direitos conquistados desde 1988 e impõe simetria de gênero ignorando a dupla e tripla jornada feminina, além de salários menores que dos homens. Representantes de movimentos sindicais, sociais, professores, trabalhadores da UnB e estudantes estiveram entre os manifestantes.

Apesar das lutas enfrentadas pelo povo, o coordenador-geral do Sintfub, Mauro Mendes, acredita que a união dos trabalhadores tem força política para barrar a reforma da previdência. “Esse ato é muito importante para o conjunto de trabalhadores, tendo em vista que a reforma da previdência só vai ser derrotada se os trabalhadores tiverem consciência da retirada de direitos. Em todo Brasil o povo está indo às ruas para repudiar a PEC 287 e precisamos que todos se unam”.

A coordenadora-geral Vania Felício  parabenizou o engajamento dos trabalhadores na manifestação e destacou ainda a importância da acompanhar e transmitir informações para o público que ainda não percebeu a gravidade do projeto. “Ainda há muita gente acreditando que a previdência está sem recursos para se manter e que essa reforma vem para salvar a aposentaria. Precisamos esclarecer com informações precisas especialmente para as mulheres, que serão as mais prejudicadas com a mudança. Não há escassez de verbas, mas uma manobra de retirada de direitos”, resumiu.

Sintfub⁠⁠⁠⁠

admin

0Shares
0