Categoria aprova e se mobiliza para a greve nacional dia 28

0Shares
0 0

Os servidores técnico-administrativos da UnB se integrarão à greve geral da categoria, chamada para o dia 28 de maio. A deliberação foi feita em assembléia lotada, realizada nesta quinta-feira (14), na Praça Chico Mendes.

O chamamento da greve geral foi encaminhado pela XXII Congresso Nacional da Fasubra, federação que representa os técnico-administrativos em educação de todo o país, realizado de 4 a 8 de maio, em Poços de Caldas (MG).

O objetivo da ação é pressionar o governo a atender a pauta de luta da categoria que, entre outros pontos, reivindica o reajuste salarial de 27,3% no piso da tabela, considerando as perdas de janeiro de 2011 a julho de 2016; a jornada de trabalho de 30 horas semanais, sem ponto eletrônico e sem redução dos salários; a revogação da lei da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares – Ebserh; e contra o projeto de lei 4330, que libera a terceirização da mão de obra em todos os serviços, com o aumento da precarização das relações de trabalho.

“A educação superior vem sofrendo vários ataques do governo, através da desvalorização sistemática dos servidores técnico-administrativos. Há alguns anos estamos dando espaço para dialogar com o Executivo federal, mas sem sucesso. Valorizar os servidores técnico-administrativos das instituições federais de ensino, mais que reconhecer a importância e a necessidade da mão de obra da nossa categoria, é reconhecer a importância da educação para a promoção de um Brasil mais justo igualitário. É de fato intitular o Brasil como pátria educadora. Por isso, é importante que cada servidor e que cada servidora se integre de fato ao movimento. É importante entrar na greve de cabeça, participando das ações chamadas pelo Sindicato”, defende o coordenador geral do Sintfub, Mauro Mendes.

Veja na íntegra a pauta nacional de reivindicações dos servidores técnico-administrativos em educação

1.Índice de 27,3% no piso da tabela considerando as perdas de janeiro de 2011 a julho de 2016;
2.Aprimoramento da Carreira com correção das distorções, levando em consideração a racionalização dos cargos, piso e step, o reposicionamento dos aposentados e concurso público via RJU para todas as classes;
3.Turnos contínuos com redução da jornada de trabalho para 30 horas, sem ponto eletrônico e sem redução de salário;
4.Revogação da Lei da EBSERH e FUNPRESP, e concurso público via RJU para os hospitais universitários;
5.Contra as PPP’s e outras formas de privatizar os serviços públicos;
6.Contra o PL 4330 e o processo de exploração dos trabalhadores estruturado na terceirização;
7.Democratização das Instituições e eleições paritárias para os cargos de direção, tendo como referência o Projeto Universidade Cidadã para os Trabalhadores;
8.Creches nas Universidades;
9.Nenhum ataque aos ganhos administrativos e judiciais da categoria – pagamento imediato;
10.Cobrar do governo a efetivação da Política Nacional de Capacitação;
11.Educação tem de ser prioridade – suspensão imediata dos cortes nas Instituições de Ensino e recomposição do orçamento;
12.Aprovação da Ascensão Funcional; # Extensão para os técnicos o art. 30 da lei 12.772, que trata de afastamento para realização de estudos de pós-graduação;
13.Aproveitamento de disciplinas de pós-graduação para todas as classes do PCCTAE
14.Reabertura de prazos para que os servidores que ainda estejam no PUCRCE possam migrar para o PCCTAE;
15.Reconhecimento dos certificados de capacitação dos aposentados quando se encontravam na ativa;
16.Liberação para exercício sindical em atividades classistas;
17.Contra a criminalização das lutas e as perseguições de dirigentes sindicais e ativistas nas bases;
18.Reconhecimento de títulos de mestrado e doutorado obtidos fora do país
19.Revogação das orientações normativas em relação a insalubridade, ON 6, 15 e 16, assegurando os direitos dos trabalhadores que já se aposentaram e dos que estão na ativa;
20.Revisão da Lei 11091, assegurando a posição hierárquica na tabela quando de reingresso de servidor na carreira.

admin

0Shares
0