sintfub@unb.br (61) 3273.4055

“Limpa” deixa 500 desempregados na Universidade de Brasília

0Shares
0 0

Aulas devem ser retomadas em agosto com dificuldades, prevê sindicato de funcionários terceirizados. Redução de verba federal provocou medida

25/07/2017

Manuela Rolim
manuela.rolim@jornaldebrasilia.com

Aos 37 anos, sendo 20 inteiramente dedicados à profissão, o motorista Cleberson Laurindo Dias agora se vê na situação mais temida de um trabalhador: desempregado. Mais da metade da vida servindo à Universidade de Brasília (UnB), ele está entre os aproximadamente 500 funcionários terceirizados que deverão ser demitidos de todos os campi da faculdade, segundo o sindicato dos empregados da instituição. Muitos, inclusive, já assinaram o aviso prévio, assim como Cleberson.

A redução no quadro vai afetar diferentes setores da universidade, como limpeza, transporte, vigilância, portaria, manutenção e recepção. Para piorar, o desfalque vai coincidir com o início do semestre letivo, no dia 7 de agosto, o que tem preocupado o Sindicato dos Trabalhadores da Fundação UnB (Sintfub). “O número já era insuficiente diante da demanda. O governo deveria aumentar o quadro e não reduzir. O início das aulas será um caos”, prevê o coordenador do Sintfub, Mauro Mendes.

A medida é tomada para adequar os gastos da instituição ao corte de verbas das universidades federais. Atualmente, são cerca de dois mil empregados para 38 mil alunos, sendo que o efetivo ideal seria de aproximadamente três mil contratados, ressalta Mendes.

“Ou seja, o que já estava ruim vai ficar ainda pior. A UnB depende desses funcionários para manter o bom funcionamento. São trabalhadores que estão há muitos anos na instituição e não terão a oportunidade de serem reinseridos no mercado de trabalho. Fora isso, cada dia que passa a universidade cresce mais e abre novas vagas. Há três anos, por exemplo, eram apenas 15 mil alunos”, lembra o sindicalista.

Enquanto isso, só resta ao motorista Cleberson Laurindo Dias aguardar seu último dia de emprego, em 28 de agosto. “Só estou esperando ser despejado. Assinei minha demissão na semana retrasada. Fiquei muito triste e chateado. Na verdade, me senti traído. Sempre fui um funcionário exemplar, não sei o que fazer da minha vida agora. Como vou sustentar minha família?”, lamenta

Saiba mais

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Fundação UnB (Sintfub), a área da limpeza conta com 600 funcionários, sendo que 170 deverão ser demitidos. Destes, 130 já assinaram o aviso prévio. Já no transporte, são 80 contratados. No total, 20 deverão ser dispensados. No campus de Planaltina, apenas um motorista permanecerá no local. Na recepção, oito pessoas também já cumprem aviso prévio dos 32 contratados.

Ainda de acordo com o sindicato, os setores de vigilância e portaria também passarão por cortes. No primeiro, serão 38 demissões entres 58 empregados. No segundo, o número chegará a 62 avisos prévios de aproximadamente 400 pessoas contratadas. Já na área de manutenção, 12 serão dispensados de imediato. Em seguida, o Sintfub acredita que mais 17 deverão ser mandados embora. O setor conta com cerca de 100 funcionários.

Instituição enxuga o que pode

Em nota, o Decanato de Planejamento, Orçamento e Avaliação Institucional da UnB (DPO) afirma que a universidade está em negociação com as empresas terceirizadas na intenção de obter redução de custos para ajustar o orçamento, que sofreu um corte de 45%.

“O desejo da administração é que os empregos dos trabalhadores terceirizados sejam preservados e outras medidas sejam adotadas, como redução de periodicidade na prestação de serviços e diminuição de uso de insumos”, declara a UnB, por meio da assessoria.

Ainda de acordo com a instituição, todos os contratos estão sendo revisados com a finalidade de diminuir despesas, assegurando a qualidade de ensino com o menor impacto possível nos empregos. Entretanto, as empresas têm autonomia para definir as propostas. “Mas, até o momento, nenhum aditivo foi assinado pela administração da universidade”, alega a UnB.

A assessoria acrescenta que, até o momento, as empresas terceirizadas não apresentaram propostas de cortes de custos, por isso não há informações sobre demissões ou avisos prévios.

Extraído de http://www.jornaldebrasilia.com.br/cidades/limpa-deixa-500-desempregados-na-universidade-de-brasilia/

SINTFUB

admin

0Shares
0