sintfub@unb.br (61) 3273.4055

Acordo garante pagamento do adicional insalubridade e terceirizados suspendem paralisação

0Shares
0 0

Os 275 trabalhadores da empresa Planalto lotados na Prefeitura da UnB que tiveram o adicional insalubridade suspenso voltarão a receber o benefício no próximo pagamento. A decisão é resultado de audiência de conciliação realizada no Ministério Público do Trabalho – MPT da 10ª Região, nessa terça-feira (16), entre o Sintfub, o Sindiserviços – que representa os terceirizados do DF, a UnB e a empresa Planalto.

Diante do acordo, os trabalhadores, reunidos em assembleia na manhã desta quarta-feira (17), suspenderam a paralisação iniciada no último dia 10.

O adicional insalubridade referente aos meses de outubro e novembro serão pagos assim que for feita a repactuação entre a Planalto e a UnB. A previsão é de que isso aconteça nos primeiros meses de 2015.

As partes ainda farão, conjuntamente, novo laudo pericial para verificar quais as funções que continuam tendo direito ao adicional insalubridade e se há necessidade de inserir no documento novas funções.

“A suspensão da insalubridade não interfere apenas no salário dos trabalhadores, mas também na hora de se aposentar. Ou seja, o prejuízo é duplo. Por isso vamos trabalhar para que esse tipo de irresponsabilidade não ocorra mais na UnB. O trabalhador merece ser respeitado e ter seus direitos garantidos”, avalia o coordenador geral do Sintfub, Mauro Mendes.

Imbróglio
Durante a audiência de conciliação, tanto a representação da UnB quanto a da empresa Planalto tentaram se defender da culpa pela suspensão do adicional insalubridade devido a 275 terceirizados da Planalto.

Segundo os representantes da empresa, a Planalto recebeu, no mês de setembro, orientação da UnB afirmando que algumas funções deixariam de receber os adicionais, baseado em parecer emitido pelo departamento de Segurança do Trabalho da Universidade.

Já os representantes da UnB afirmaram que algumas funções que recebiam o adicional insalubridade foram excepcionadas pela própria empresa. Eles ainda disseram que, mesmo com a mudança, continuou sendo pago o valor integral do contrato.

Trabalhadores da portaria
Ainda nesta terça-feira (16), no MPT, outra reunião de conciliação, desta vez entre o Sindiserviços, a UnB e a empresa Rover Administração e Serviços Ltda, foi acordado que a Universidade fará o pagamento das verbas rescisórias devidas pela empresa aos 548 trabalhadores terceirizados que prestam serviços nas portarias da UnB, a partir desta quinta-feira (18).

O pagamento poderá ser sacado pelo trabalhador apenas na boca do caixa, em qualquer agencia do Banco do Brasil, mediante a apresentação do CPF e documento de identidade com foto.

admin

0Shares
0